Chinesa transgênero, Jin Xing, é a nova musa da Dior | We Fashion Trends
Celebridades Comportamento Empoderamento Perfume

Chinesa transgênero, Jin Xing, é a nova musa da Dior

1 de junho de 2021

Dior, a casa francesa de propriedade da LVMH, o maior grupo de luxo do mundo, está colaborando com a celebridade transgênero Jin Xing para uma campanha centrada na fragrância J’adore da marca.

A Dior anunciou as novidades através do perfil da Dior no Weibo, serviço de microblog chinês, com um vídeo no qual Jin faz monólogos sobre o valor da independência e da individualidade, além de dividir um pouco sobre o caminho percorrido em sua transição.

Jin Xing é um ex-dançarino de balé e coronel do exército e foi a primeira pessoa a divulgar a cirurgia de mudança de gênero na China. Desde então, ela se tornou uma apresentadora de televisão proeminente e tem um número significativo de seguidores nas redes sociais.

Comunidade LGBT na China

Esta declaração ousada de uma marca de luxo como a Dior reflete algum progresso na aceitação da Comunidade LGBT na China, onde os direitos das pessoas trans são apenas parcialmente reconhecidos.

As questões LGBT ainda são um tabu na China, onde a comunidade enfrenta duras consequências como ostracismo, desemprego e até prisão. Um relatório do Centro LGBT de Pequim em 2017 descobriu que, de 1.640 entrevistados, todos, exceto seis, sofreram violência doméstica nas mãos de pais ou responsáveis ​​depois de se confessarem.

Leitura recomendada: Este pai lançou uma linha de roupas de banho para meninas transexuais

Em 2015 em Pequim, uma mulher transgênero Chao Xiaomi trouxe a questão dos transgêneros para a área pública depois que ela não conseguiu usar o banheiro de um shopping center.

Chao contou como ela tentou entrar no banheiro masculino pela primeira vez, mas foi interrompida por um zelador porque estava usando um vestido. Ela então tentou entrar em um banheiro feminino, mas um segurança pediu para ver sua identidade; ao ver que se dizia “masculino”, chamou-a de “pervertida”.

Diante da discriminação generalizada, ONGs e ativistas têm pressionado por mudanças por meio de ações judiciais e do desenvolvimento de estudos que destacam as dificuldades que a comunidade enfrenta.

Apesar de muitos contratempos, a comunidade LGBT está lutando para ser vista e ouvida, e muitas pessoas LGBT estão começando a viver mais abertamente em meio à crescente aceitação da sociedade.




Você também vai gostar

Comente com o seu perfil do Facebook:

Sem Comentários

Comentários

O QUE SÃO CHAKRAS?