Carreira Comportamento

Como conseguir chegar ao final do mês sem entrar no cheque especial

9 de outubro de 2017

mulher tirando cartão de crédito da carteira

Vamos combinar que para muitas mulheres não é fácil controlar as finanças e chegar ao fim do mês sem entrar no cheque especial… são tantas tentações ao longo do mês: um vestido aqui, um restaurante ali, o presente da melhor amiga e quando percebemos já estouramos o orçamento mensal.

E você, tem conseguido chegar ao final do mês sem entrar no cheque especial? Você sabe bem todas as vantagens e desvantagens deste “benefício” da sua conta corrente? Conhece as taxas de juros e encargos que você paga quando usufrui deste serviço? Então vamos conversar um pouco sobre isso.

O que é o cheque especial?

O cheque especial nada mais é do que uma linha de crédito pré-aprovada que o banco disponibiliza para alguns dos seus clientes. Mas, é importante frisar que nem todos os clientes do banco terão acesso ao cheque especial, já que a sua concessão depende de uma análise de crédito prévia.

Essa linha de crédito envolve a assinatura de um contrato (que pode ser em papel ou digital) onde estão as regras deste empréstimo. Isso mesmo EM-PRÉS-TI-MO! O cheque especial é um empréstimo.

Os percentuais de juros e o valor do limite de crédito também variam conforme o perfil do cliente e conforme as políticas de cada banco.

Então, respondendo objetivamente à pergunta sobre o que é o cheque especial: trata-se de uma modalidade de concessão de crédito, um empréstimo! E com uma das taxas de juros mais altas que existem no planeta!

Ele funciona da seguinte forma: toda vez em que você gastar mais do que tem na sua conta, você pega um dinheiro emprestado com o banco automaticamente, utilizando uma parte do limite desse crédito pré-aprovado. Você só paga pelo montante que utilizar e por quantos dias estiver negativa. É bem prático, e por isso, bem caro também!

Qual é a taxa de juros do cheque especial?

Sobre as taxas de juros do cheque especial, posso adiantar que elas costumam ser as taxas mais elevadas do mercado podendo chegar a mais de 500% ao ano. Isso acaba tornando esse crédito bem perigoso, pois se a conta não for coberta rapidamente, esses altos juros vão virando uma bola de neve.

Se você não se considera uma pessoa financeiramente disciplinada e controlada, sugiro que fuja do cheque especial, pois não faltam exemplos de pessoas endividadas e cada vez mais enroladas com essa modalidade de dívida.

No que se refere ao valor da taxa de juros em si, o Banco Central disponibiliza uma tabela com as taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras – clique aqui para ver.



Além dos juros também há a cobrança do IOF, que é o Imposto sobre Operações Financeiras. Os juros e encargos normalmente são cobrados no início do mês seguinte ao qual o limite de crédito foi utilizado.

Como conseguir chegar ao final do mês sem entrar no cheque especial?

Resgatando a nossa pergunta inicial. Em primeiro lugar, será imprescindível um controle para saber onde está indo o seu dinheiro. Aliás, é preciso controlar o que entra também. No começo é meio chato ter que anotar tudo, mas é como aprender a dirigir: depois de um tempo vai ficando mais fácil.

O ideal é primeiro entender quais são aquelas contas recorrentes, que não temos muito como fugir em um primeiro momento. São as contas de luz, telefone, condomínio, escola etc. Considere estes como seus gastos essenciais.

Depois, você poderá começar a fazer estimativas de quanto poderá gastar naqueles itens que não têm boleto nem conta em débito automático (e que, em geral, são pagos no cartão) como supermercado, farmácia, salão, roupas, restaurantes… Defina limites para cada um deles e vá controlando ao longo do mês. Lembre-se que a soma dos gastos essenciais e de todos os limites das despesas sem boleto devem ser de no máximo o valor da sua renda líquida, aquela que você recebe na sua conta.

Atualmente alguns cartões têm a facilidade de ajuste no limite de crédito a qualquer momento. Então, coloque um limite que seja compatível com esses gastos não essenciais e ficará mais fácil não extrapolar nas despesas do mês.

Se achar que não se dá muito bem com cartões e que vai acabar se enrolando com as contas a pagar no outro mês, saque este valor em dinheiro, coloque em envelopes, cada um com o seu objetivo.

É claro que é trabalhoso e depende de disciplina para controlar as finanças. Mas, posso te garantir que vale a pena ter a vida financeira em ordem e nunca mais perder uma noite de sono por causa disso! Nunca mais se enrole com suas finanças e seja feliz!

Ainda não acabou!

Veja também: Como lidar com pessoas que sugam nossa energia

Vem com a gente!

No nosso Pinterest têm mais



Você também vai gostar

Comente com o seu perfil do Facebook:



Sem Comentários

Comentários