Endorfina: o que são e como estimular os hormônios do prazer | We Fashion Trends
Bem-Estar Corrida Curiosidades Exercícios

Endorfina: o que são e como estimular os hormônios do prazer

8 de março de 2021

endorfina-como-estimular-hormonio-do-prazer

Nosso corpo produz um tipo particular de substância, a endorfina, também chamadas de “hormônios do prazer”. Vamos descobrir em detalhes quais são suas funções e como é possível aumentar sua produção dentro do corpo.

Nosso corpo nos fornece uma série de ” substâncias ” que podem ser úteis em várias situações, mesmo quando não percebemos. Isso inclui endorfinas, hormônios produzidos pelo cérebro e classificados como neurotransmissores. Graças às suas propriedades, as endorfinas desempenham várias funções favoráveis ao nosso bem-estar, como, por exemplo, controlar o apetite e a temperatura, atuando de forma analgésica contra a dor e proporcionando uma sensação de prazer e felicidade.

O que são endorfinas?

As endorfinas são hormônios protéicos que se distinguem por sua atividade como neurotransmissores, ou seja, atuam na transmissão de mensagens ao sistema nervoso. Essas substâncias são produzidas pelo cérebro ao nível do lobo pituitário anterior, na glândula adrenal e ao nível do trato gastrointestinal. As endorfinas também são conhecidas como ” morfinas endógenas “, ou seja, aquelas morfinas sintetizadas diretamente pelo nosso corpo e que possuem uma série de propriedades verdadeiramente notáveis, sem os efeitos colaterais de qualquer outro tipo de substância opiácea. Entre as propriedades mais conhecidas estão aquelas analgésicos e, em geral, os mecanismos relacionados ao controle da dor e do prazer.

Quatro classes distintas de endorfinas são atualmente conhecidas, respectivamente chamadas de “alfa”, “beta”, “gama” e “delta”.

endorfina-no-corpo

As funções das endorfinas

Como já mencionamos, as propriedades e benefícios das endorfinas são numerosos. Os principais efeitos positivos exercidos por esses hormônios em nossas mentes são os seguintes:

  • Ação analgésica

Também conhecidas como “morfinas endógenas”, as endorfinas podem ser consideradas analgésicos naturais. Não é de surpreender que a ciência esteja cada vez mais visando um tipo de medicamento endógeno, que não envolva os efeitos colaterais e o vício de outras substâncias sintéticas. As endorfinas ajudam a aumentar o limiar da dor e promovem o relaxamento, também neutralizando as doenças ditadas não apenas pelo sofrimento físico, mas também pelo sofrimento mental devido ao estresse.

  • Regulação do ciclo menstrual, sono, apetite e temperatura corporal

As endorfinas são responsáveis por controlar várias “situações” em nosso corpo. Em primeiro lugar, observou-se que sua redução aumenta o estresse psicológico subjacente à síndrome pré – menstrual. Portanto, manter estável a concentração desses hormônios ajuda a prevenir desconfortos físicos e mentais decorrentes do ciclo menstrual. Da mesma forma, as endorfinas têm efeito placebo em relação aos estados de ansiedade, promovendo o sono e atuando no controle do apetite e da temperatura corporal.

  • Eles promovem a sensação de bem-estar, prazer e realização

Finalmente, provavelmente a ação mais conhecida das endorfinas. Na verdade, essas substâncias intervêm no mecanismo de “recompensa do cérebro”, que é a busca e a vontade de repetir todas as atividades que levam ao prazer. Além disso, eles têm um poderoso efeito antidepressivo. Quando realizamos determinadas ações que estimulam a liberação de endorfinas, imediatamente nos sentimos satisfeitos com nós mesmos, percebendo uma sensação imediata de bem-estar.

endorfina-no-corpo-beneficios

A relação entre atividade física e endorfina

Muitos estudos científicos chamaram a atenção de todos para a estreita ligação que existe entre a liberação de endorfinas e o esporte. De fato, verificou-se que a produção dessas substâncias aumenta em relação à atividade física, desde que esta seja praticada por pelo menos 30-40 minutos. A estimulação desses hormônios leva àquela sensação inconfundível de euforia e contentamento que os esportivos conhecem muito bem. Esse fenômeno também é conhecido como euforia do corredor

A primeira pesquisa neste sentido foi realizada com atletas de competição, principalmente maratonistas, ciclistas e especialistas em atividades aeróbicas. Além disso, como as endorfinas reduzem o limiar de dor e a percepção de fadiga, promovem um efeito positivo no desempenho esportivo.

Veja mais: 30 minutos de caminhada por dia: a atividade perfeita para estar em forma

atividade-fisica-endorfina

Como estimular a liberação de endorfinas

Vimos como as endorfinas têm um efeito benéfico em nosso corpo e mente. Como é possível, portanto, aumentar a produção? Pode surpreendê-lo, mas a liberação desses hormônios pode ser aumentada realizando atividades e gestos que muitas vezes consideramos corriqueiros e que, ao contrário, podem nos ajudar muito mais do que pensamos.

1. Exercício

Como já dissemos, a liberação de endorfinas está intimamente ligada ao exercício físico. Se o fenômeno de Runner’s High parece excessivo para você, não se preocupe: você não precisa necessariamente correr uma maratona para desfrutar da sensação de euforia e bem-estar causada pelos hormônios do prazer. Comece com o esporte que você mais gosta e tente praticá-lo regularmente. Pode ser um passeio de bicicleta, uma caminhada na natureza, nadarpatinar ou jogar vôlei – qualquer coisa, desde que seja uma atividade que você goste e que o mantenha em movimento. Você verá que uma onda de endorfinas não demorará a chegar.

correr-atividade-fisica-endorfina-bem-estar

2. Ouça a sua música favorita

Nos últimos anos, a ciência tornou-se cada vez mais interessada no poder da música. Quantas vezes você desanimou e começou sua playlist favorita ou ficou feliz com as boas notícias e se soltou no ritmo de uma música com vibrações particularmente boas? Aqui, essas ações que podem parecer aleatórias, em vez disso, têm uma explicação muito precisa. A produção de endorfinas é estimulada pela audição de música: desta forma, o limiar da dor no corpo aumenta quase que automaticamente e ocorrem efeitos positivos no nosso bem-estar físico e mental.

musicas-endorfina-bem-estar-saude

3. Fique ao ar livre

Seja um passeio no meio da natureza ou simplesmente deitado em um parque durante um dia de primavera, o resultado não muda. Os especialistas notaram como estar ao ar livre afeta positivamente nosso humor e mente. Em particular, um estudo conduzido pela Universidade de Harvard mostrou como a exposição à luz solar estimula não só a vitamina D, mas também a liberação de endorfinas endógenas e serotonina, dando-nos imediatamente uma sensação de felicidade e realização. Nesse sentido, recomendamos que você escolha lugares no campo, mar ou montanha como fuga da rotina diária, enfim, um ambiente longe do frenesi das grandes cidades que muitas vezes afetam negativamente o nosso psiquismo.

banho de floresta mulher de chapéu no meio da natureza

4. Entregue-se ao pecado da gula de vez em quando

É verdade, para nos sentirmos bem com o nosso corpo, devemos necessariamente manter nossa nutrição sob controle e escolher uma alimentação saudável e balanceada. No entanto, que vida seria se às vezes você não pudesse quebrar a regra? Vários estudos científicos mostram como o chocolate ou uma degustação do nosso prato preferido são capazes de desencadear um mecanismo no cérebro que imediatamente te dá uma sensação de satisfação e prazer, graças à produção de endorfinas. Por isso, depois de comer um alimento de que gostamos muito, nos sentimos felizes e à vontade com nós mesmos.

doces

5. Dê abraços!

Abraços, beijos e carícias fazem bem à nossa mente, mesmo para aqueles que normalmente evitam o contato físico. A ciência tem notado como as demonstrações de afeto estimulam a liberação de endorfinas, dando origem até mesmo a um efeito analgésico contra a dor em situações de forte estresse psicofísico, como, por exemplo, o parto. Além disso, já se sabe que um simples abraço pode acalmar a ansiedadefortalecer o relacionamento entre duas pessoas e até melhorar a memória.

Veja mais: Auto-abraço, a melhor maneira de se sentir melhor

No caso de um casal, as efusões de amor induzem a produção de endorfinas e feromônios, dois hormônios que se combinam liberam uma sensação de intenso prazer, durante e após a relação sexual.

beneficio-abracos-endorfina




Você também vai gostar

Comente com o seu perfil do Facebook:

Sem Comentários

Comentários

29 DE JULHO: DIA DO BATOM!