Viagem

Machu Picchu: tudo o que você precisa saber para visitar

12 de setembro de 2017

Deisi Remus Machu Picchu

Eu sempre tive o sonho de conhecer Machu Picchu, e poder realizar foi algo que nunca vou me esquecer. Ainda mais porque eu fui na época da “Festa do Sol” (Inti Raymi), uma celebração que é parte do legado do império Inca e que acontece desde 1944 em Cusco.

Porém, planejar uma viagem, dependendo do destino que você vai, não é uma tarefa tão fácil assim. Eu tive a ajuda da PROMPERU (Comissão de promoção da exportação e do turismo do Peru) para conseguir fazer o meu roteiro em Machu Picchu, o que deixou tudo mais fácil.

Veja agora algumas dicas fundamentais que você precisa ler, se estiver pensando em conhecer Machu Picchu Patrimônio da Humanidade.

História de Machu Picchu

Bingham-Machu-Picchu-historia

De acordo com os historiadores, Machu Picchu foi construída no século XV pelo inca Pachacútec. Existem diversas teorias arqueológicas sobre as construções, alguns arqueólogos acreditam que era um Santuário, outros uma Cidade Sagrada e outros que era um centro político, religioso e administrativo.

Quem descobriu esse sítio arqueológico foi o explorador Harry Bingham, que fez uma busca persistente pela lendária capital inca. Cansado de caminhar por horas, guiado por nativos da região, marchou para as montanhas, acompanhado por um guia local e um policial peruano. E foi no dia 24 de julho de 1911 que ele se deparou com o que ele tanto buscava.

Quando você chegar no Vale Sagrado, vai se impressionar pela localização, que fica no alto de uma montanha. Além de suas grandes construções: templos, palácios, plataformas e canais de água. Tudo isso mostra o que uma grande civilização foi capaz de edificar com grandes blocos de pedra, sem nenhum tipo de cimento, porém com a maior sabedoria.

Isso é apenas um resumo pequeno sobre a história de Machu Picchu, mas vale ver documentários, filmes e livros para aprender mais e deixar a sua viagem ainda mais inesquecível.

Como chegar a Machu Picchu

Cusco Peru

Para chegar até o Peru, você tem duas opções: Lima e Cusco. Se você tiver mais tempo, recomendo chegar por Lima e ficar uns dias por lá para conhecer a cidade. E depois de conhecer a capital, ir de ônibus ou avião até Cusco. Pelo que li em alguns sites, todos recomendam ir de avião até Cusco, porque a viagem de ônibus é bem demorada.

Nós não tínhamos tanto tempo assim, por isso, nosso foco foi em Cusco e Machu Picchu.

Como lidar com os efeitos da altitude em Cusco

Folha-Coca-Aeroporto

Uma das coisas que eu mais pesquisei e mais estava com o pé atrás foi essa questão da altitude e dos efeitos dela no nosso corpo. Logo que você desembarca em Cusco, na saída para pegar suas malas, já tem uma cesta cheia de folhas de coca para você mascar. Por mais que você esteja ainda se sentindo bem, pegue um punhado e vá mascando, porque acredite em mim, mais cedo ou mais tarde você vai sentir os efeitos.

Por isso, recomendo ficar uns dois dias em Cusco para se ambientar com os efeitos no corpo, afinal, são mais de 3.300 metros de altitude!

Essa grande altitude acaba gerando alguns problemas como enjoo, dor de cabeça e até falta de ar. Os próprios peruanos aconselham mascar folha de coca, tomar chá de coca ou até mesmo tomar remédios específicos pra isso (as farmácias vendem opções químicas ou naturais).

remedio para mal de altitude em cusco

E se você ficar sentindo muita falta de ar, em todas as farmácias tem para vender um produto chamado OxiShot, que nada mais é do que um tubo com oxigênio.

oxishot oxigênio para altitude em cusco

Cusco

Cusco tem muitos lugares incríveis para conhecer, como o Cerro Colorado e a Salinas de Maras, mas no nosso roteiro não tivemos tempo para conhecer esses lugares. Ficamos apenas uma noite em Cusco e no outro dia já partimos para Machu Picchu.

Depois de nos acomodar no hotel, fomos dar uma caminhada de leve para conhecer a “Plaza de Armas” e já nos deparamos com uma das muitas celebrações que estavam acontecendo na cidade  (já entrando nas celebrações de Inti Raymi):

Cusco-Festa

Quantos dias preciso para conhecer Machu Picchu

Se você tem a intenção apenas de conhecer o vale sagrado e talvez alguma montanha, recomendo ficar apenas um dia por lá (uma noite no hotel).

Agora, se você curte aventuras, pode ficar um dia a mais para fazer outros passeios, mas lembre-se que  cada dia é um ticket diferente de entrada e todo o esquema de traslado novamente, além das diárias em Águas Calientes.

O que levo para Machu Picchu?

Quando você escolher um hotel em Cusco, vale a pena ver se existe o serviço de guardar as malas (normalmente eles oferecem gratuitamente isso), pois a maioria fica um dia em Cusco e no outro dia já vai para Machu Picchu  volta depois para Cusco, por isso, não esqueça de ver se o hotel que você está em Cusco guarda as suas malas.

Isso vai ser útil para você deixar a grande mala de viagem no hotel e ir para Machu Picchu apenas com as roupas necessárias para a sua estadia por lá. Nós, por exemplo, levamos apenas uma mochila com as roupas, carregadores, escovas de dentes e afins.

Vale lembrar que você vai voltar para Cusco de qualquer forma. Certamente você vai acabar ficando no mesmo hotel, ou se for viajar é só ir buscar a mala no hotel, assim que chegar, e partir.

Chegando em Machu Picchu

Inca-Rail

Seu destino será Águas Calientes, um pequeno povoado chamado localmente de “Machu Picchu Pueblo”. Para chegar lá só tem uma forma: trem.

As duas empresas que fazem esse serviço são Peru Rail Inca Rail.

Para ir pra Águas Calientes existem duas opções de estações de trem que estão próximas de Cusco: Poroy (que fica a cerca de 25 minutos de carro de Cusco) e Ollantaytambo (cerca de 1h40).

É importante você decidir qual estação você prefere pois será esse o trecho que você irá comprar e que estará no seu bilhete de embarque.

Para chegar a estação de trem você pode chegar por taxi (agendando com algum na rua ou pedindo para alguém no seu hotel) ou de van. Em volta da Praça das Armas, em Cusco, você certamente será abordado por várias pessoas que trabalham com serviços turísticos e oferecem o “transfer” para as estações de trem. Senão, é só procurar em volta que existem várias pequenas lojinhas que fazem isso.

Vale a pena programar para chegar bem antes na estação de trem, principalmente se for para Ollantaytambo, que é mais longe e, vale uma visita pela região.

Depois disso, é só embarcar e curtir a viagem incrível de trem até Machu Picchu.

trem-peru-rail

Chegando em Águas Calientes

machu-picchu-pueblo

Geralmente os trens chegam a tarde em Machu Picchu Pueblo. Você vai chegar e, normalmente, o hotel que você reservou vai mandar alguém pra te receber na estação de trem. Mas também não tem muito pra onde fugir. A cidade é muito pequena e você fará tudo a pé. Inclusive essa pessoa que vai te receber, certamente vai andando com você até o seu hotel/pousada.

O que é preciso pra visitar Machu Picchu?

Agora chegou a hora de se preparar pra conhecer Machu Picchu. Pra isso você precisa que ter o ingresso de visita, que vai depender do que você quer fazer por lá.

Existem três opções de ingressos:

• Somente Machu Picchu. Pra visitar somente o sítio arqueológico.
• Machu Picchu + Montanha. Permite visitar o sítio arqueológico e também fazer a trilha até o alto da Montanha de Machu Picchu.
• Machu Picchu + Wayna Picchu. Permite visitar o sítio arqueológico e também fazer a trilha até o alto da Montanha de Wayna Picchu.

Cada ingresso tem turnos e horários diferentes. Você pode e DEVE comprar com antecedência.

Para comprar existem vários sites alternativos que vendem, inclusive em português, ou você pode adquirir pelo site oficial do Ministério de Cultura do Peru.

Qual ingresso escolher para visitar Machu Picchu?

O ingresso que você escolher é o que vai determinar a sua estadia em Machu Picchu. Nós optamos por fazer Machu Picchu + Montanha de Machu Picchu, que exige o dia inteiro de visitação e é bem cansativo.

Mas uma opção que também seria bacana é fazer somente Machu Picchu, conhecendo profundamente e com calma o sítio arqueológico, e em outro dia fazer uma das montanhas.

Eu recomendo escolher o primeiro turno e chegar bem cedinho em Machu Picchu. Os portões abrem oficialmente às 6h da manhã e você já pode entrar assim que conseguir.

O mais bacana é ver o sol nascendo por de trás das montanhas e iluminando aos poucos o sítio arqueológico.

nascer do sol em Machu Picchu

Dica importante: fique atento ao horário que está no seu ingresso. Se você perder o horário de entrada para a montanha, não poderá mais entrar!

Qual a diferença entre as montanhas de Machu Picchu e Wayna Picchu?

As duas montanhas são altas e exigem bastante esforço físico.

Montanha de Machu Picchu

Nós fizemos a Montanha de Machu Picchu, que tem 3.082 metros de altura e leva umas 3h30 pra subir e descer.

montanha-machu-picchu

Montanha de Wayn Picchu

A Wayna Picchu tem 2.693 metros de altura e leva cerca de 2h30 para subir e descer.

Segundo nosso guia, a Wayna Picchu é bem mais tranquila e desgasta menos do que a que fizemos (Machu Picchu). Além disso, tem algumas construções incas no alto da montanha.

subindo-montanha-machu-picchu

A Montanha de Machu Picchu é muito cansativa, muito mais do que eu poderia ter imaginado. São milhares de degraus e algumas pequenas trilhas para chegar ao alto da montanha. Tudo isso a uma boa altura, com um penhasco do seu lado e com uma dose de sol na sua cabeça.

Mas vale cada degrau e cada suor, pois a vista durante a subida é incrível.

deisi remus montanha de machu picchu

Como faço para chegar até a Machu Picchu

Águas Calientes ou “Machu Picchu Pueblo” fica no pé da montanha onde está localizado o sítio arqueológico de Machu Picchu. Para chegar até Machu Picchu existem duas opções: vans que fazem o traslado de subida e descida ou no calcanhar mesmo (alguns turistas aventureiros fizeram isso).

Os tickets desse serviço de van podem ser comprados pela internet ou podem ser adquiridos diretamente em Águas Calientes. Existem dois postos de vendas desses tickets na cidade. Se deixar pra comprar lá, vale a pena ir assim que você puder para garantir a van para a sua visita.

E no dia da visita, se você for no turno da manhã, vale a pena tomar o café bem cedinho no hotel e correr pra fila da van. Os hotéis já estão acostumados com isso e começam a servir café da manhã a partir das 4h da manhã!

Nós chegamos por volta das 5h e a fila já estava gigante:

fila-traslado-machu-picchu

A subida dura cerca de 20 min de van. Por fim chegamos no alto de Machu Picchu por volta das 6h30.

Sítio Arqueológico de Machu Picchu

sítio arqueológico machu picchu deisi remus

O sítio arqueológico é muito bacana e merecia uma visita mais tranquila. Digo isso porque você acaba chegando em Machu Picchu, faz as clássicas fotos no mirante (que fica virado para o sítio arqueológico) e já se destina para a trilha da montanha que você escolheu.

E quando chega a hora de conhecer o sítio arqueológico, onde estão as famosas ruínas, depois de subir e descer a montanha e se esforçar bastante fisicamente, a visita acaba sendo um pouco cansativa.

sitio arqueológico machu picchu

Nosso guia disse que muitas pessoas que fazem a Montanha de Machu Picchu, como nós fizemos, acabam ou desistindo de conhecer as ruínas ou pedem para visitar somente um pedacinho do sítio.

Mas o passeio é obrigatório, portanto coloque uma dose de energia extra pra fazer isso! Leva cerca de 1h30 e tem um circuito único que vai passando por tudo que você precisa ver.

Contratar ou não um guia para visitar Machu Picchu?

Eu sou contra guias em viagem, mas devo confessar que desta vez foi muito bacana, ainda mais em locais tão cheio de histórias assim. Ele nos contou várias histórias incas, suposições e alguns detalhes do sítio arqueológico.

Mas, se você estiver fazendo uma viagem com poucos recursos, vale a pena fazer o que eu disse no começo do post, ler bastante sobre Machu Picchu, ver alguns documentários e vídeos na internet. Daí é só ir se guiando pela visita que já tem um circuito único.

O que levar para a visita?

Lembre-se de levar uma mochila com:

  • Muita água, pois você vai ficar o dia todo no calor e com muito sol
  • Snacks e frutas para comer
  • Protetor solar
  • Chapéu ou boné para se proteger do sol
  • Passaporte (importantíssimo, falarei dele mais abaixo)

Snaks são permitidos, mas vale lembrar que todo o lixo que você produzir deve ser guardado dentro da sua mochila, pois lá não tem lixeiras e bom senso é moda também, então nada de colocar lixo no chão.

A visita dura, no mínimo, 6h (desde sair do hotel até completar toda a visita na montanha e sítio arqueológico). Portanto, lembre-se de levar esses snacks para comer. Ou você terá que sair do sítio para comer algo no café que existe lá fora, o que vai acabar atrapalhando sua visita.

Tem banheiro lá?

Como uma boa mulher, essa foi a minha primeira pergunta ao guia.

Existe um banheiro sim, porém ele fica na entrada de Machu Picchu, na parte de baixo de onde existe a fila para entregar os bilhetes e entrar no sítio arqueológico. O ideal é ir nele antes da visita e ir tomando pouca água durante todo o passeio. Isso porque lá dentro não existe banheiro.

Ah, o banheiro tem um custo. Algo entre 50 centavos ou 1 novo sol.

Carimbo de Machu Picchu no passaporte

Falei acima que um dos itens importantes para você levar ao sítio era o passaporte. Além de ter que apresentar para entrar em Machu Picchu, você também vai poder carimbá-lo no fim da visita com a prova de que conheceu uma das 7 maravilhas do mundo moderno.

carimbo-machu-picchu

Relembrando:

Para a sua viagem pra conhecer Machu Picchu você vai precisar disso tudo:

• Passagem de avião – ida e volta (Ex: São Paulo – Cusco e Cusco – São Paulo).
• Hotel em Cusco.
• Tickets para ida e volta de trem.
• Ida e volta da estação de trem (táxi ou van).
• Hotel em Águas Calientes.
• Entrada (s) para Machu Picchu.
• Ticket para subida e descida de van (para visitar Machu Picchu).
• Extra: Guia turístico para o passeio de Machu Picchu.

Quanto custa viajar para Machu Picchu?

Como tudo nessa vida de viagens, isso vai mudar de acordo com o seu planejamento e das experiências que você vai querer ter. Isso inclui o tipo de hotel, assim como os demais passeios, restaurantes, etc.

Mas para a viagem (avião + hotel + traslados + entradas, etc.) com R$4 mil você consegue fazer tranquilamente uma viagem para conhecer Machu Picchu.

O extra seriam as alimentações e compras locais.

deisi remus Peru

Agradecimento especial:

Um agradecimento a toda equipe da PROMPERÚ pelo apoio nessa viagem.



Você também vai gostar

Comente com o seu perfil do Facebook:



4 Comentários

  • Reply Linda Lara 10 de outubro de 2017 at 22:20

    Olá, boa noite. Na procura de dicas para o Peru, encontrei seu site. Adorei, ótimas dicas.

    Já comprei minha passagens e gostaria de fazer uma perguntinha, ainda mas que foi a pouco tempo.
    Qual valor que pagou no ingresso para MP + montanha. E se for pra Huana é mais caro, ou mesma media?

    Obrigada!

    • Reply Deisi 16 de outubro de 2017 at 10:05

      Oi Linda,
      que bacana que você está indo ao Peru, você vai amar!
      O valor do ingresso MP + montanha foi cerca de 200 soles por pessoa. E se for pra Huana é a mesma média de valor.

      Boa viagem!

  • Reply Luan Santana 28 de outubro de 2017 at 10:15

    Bom dia pessoal! Excelente post!! Bem detalhado,

    O ano passado, foi para Machu Picchu, infelizmente não consegui garantir o ingresso para a montanha de waynapicchu, porém foi uma experiência espetacular! Estou planejando voltar para o próximo ano, e vou subir nas duas montanhas com certeza! Eu soube que mudaram algumas regras para o ingresso para Machu Picchu, se alguém pode conferir o link:https://www.machupicchupacotes.com/blog/novas-regras-para-visitar-machu-picchu/ , Abraços !

  • Reply Marco 30 de outubro de 2017 at 14:16

    Olá, Deisi, gostei muito de suas informações precisas e gostaria de adicionar algo a elas em relação às maneiras de se chegar a Machu Picchu. Como você diz em seu post, uma delas é a mais clássica, por trem, porém há , como o Caminho Inca. Uma caminhada muito solicitada atualmente além de outras excursões alternativas a ela, como a Inca Jungle ou a Salkantay. Se você quiser voltar ao Peru, te convido a realizar uma delas porque a experiência é extraordinária. Um abraço, Deisi e obrigado por compartilhar o post.

  • Comentários