Victoria's Secret troca as famosas "angels" por mulheres empoderadas | We Fashion Trends
Comportamento Empoderamento Lingerie

Victoria’s Secret troca as famosas “angels” por mulheres empoderadas

18 de junho de 2021

victoria secrets

Victoria’s Secret se despede de suas “angels” e diz olá para sete mulheres famosas por suas conquistas e não por suas proporções, encerrando a era de suas passarelas suntuosas onde mulheres sensuais desfilavam com asas de anjo e lingerie.

As angels da Victoria’s Secret são história. Aquele arquétipo de mulher muito limitada e sexualizada – extremamente magra, marcada, com pernas quilométricas, cintura minúscula, cabelo perfeito e sorriso – parou de funcionar e de vender.

Os anjos penduraram as asas, muito pesadas, há algum tempo quando foi anunciado o fim do Victoria’s Secret Fashion Show, justamente por causa desse discurso ultrapassado sobre a imagem da mulher. Mas agora é um fato que a era dos anjos VS acabou.

victoria secrets angels

O fim das angels da VS

A marca de lingerie apresenta seu novo coletivo de mulheres. São sete mulheres famosas por suas conquistas e não por sua aparência física. No grupo estão a modelo brasileira Valentina Sampaio

Megan Rapinoe, campeã de futebol da seleção dos Estados Unidos

megan rapinoe

Eileen Gu, uma esquiadora sino-americana de 17 anos que estrelou uma campanha da Tiffany

eileen gu victorias secret

Paloma Elsesser, a modelo birracial e defensora da inclusão; 

paloma elsesser

Priyanka Chopra Jonas, uma atriz de 38 anos e investidora em tecnologia, entre outras.

Eles representam esta nova etapa da Victoria’s Secret. É uma corrida monumental para recuperar a imagem da marca e evitar o seu desaparecimento após o declínio que teve.

Na verdade, há um documentário sobre a ascensão e queda da marca. Durante décadas, elas se beneficiaram da ideia de como é ser uma mulher “sexy” e “feminina”, do ponto de vista masculino. Uma ideia que foi muito bem aceita durante anos, mas que não conseguiu mostrar mulheres reais e compradoras perdidas que não estavam mais refletidos naquela narrativa.

Victoria’s Secret Collective

Agora a marca americana apresenta ao VS Collective uma geração de mulheres totalmente diferente da anterior Victoria’s Secret. Megan Rapinoe, a protagonista da campanha, falou ao New York Times sobre o perigo do discurso que as mulheres viram. “ Patriarcal, sexista, vendo não apenas o que significava ser sexy, mas o que as roupas tentavam alcançar através de uma lente masculina e do que os homens queriam. E foi muito comercializado para mulheres mais jovens ”, disse ela. Essa mensagem, era “muito prejudicial”.

A Victoria’s Secret levou anos para perceber que suas estratégias de marketing estavam desatualizadas. Marcas como Rihanna’s Savage x Fenty chegaram com seu desfile que trazia mais uma mensagem sobre lingerie, sobre ser sexy e sobre viver no próprio corpo.

Na verdade, esse desfile da Fenty foi chamado de novo Desfile de Moda da Victoria’s Secret. Outras marcas colocam o foco na diversidade e inclusão corporal, enquanto a VS permanece a mesma.

Agora, Martha Please, a nova diretora de marketing da Victoria’s Secret, está liderando a iniciativa VS Collective em uma nova direção para reviver e reposicionar a marca. Para além desta mudança de embaixadoras, mulheres com corpos e origens diferentes, a marca terá uma nova iniciativa sobre a maternidade, uma vez que anteriormente a VS nunca celebrava o Dia das Mães porque não era “sexy”.

Eles também terão novos produtos, como sutiãs para mulheres que amamentam, sutiãs pós-mastectomia e outros tipos de tops esportivos.




Você também vai gostar

Comente com o seu perfil do Facebook:

1 Comentário

  • Reply Amanda 1 de julho de 2021 at 12:15

    Que desfeita. Vejo isso como se estivessem rebaixando as outras mulheres que já trabalharam para a empresa.

  • Comentários

    LOOKS ESTILOSOS COM CALÇA SKINNY